Imagem, Minimalismo e Estilo de Vida


Imagem, Consumo Consciente e Estilo de Vida Presente são palavras que fazem parte do vocabulário e do trabalho da 4Hands, e o contexto atual de pandemia vem reforçar isso mesmo, fazendo com que cada vez mais pessoas sintam necessidade de mudar de hábitos, de quebrarem excessos materiais e de terem uma imagem adequada ao momento que vivemos, procurando conforto e praticidade no dia-a-dia, numa rotina que, para muitos envolve diversas atividades pessoais, profissionais e familiares no mesmo espaço e num curto período de tempo.


Muitos são aqueles que têm sentido necessidade de arrumar a casa, o guarda-roupa, concretizar mudanças adiadas e de procurarem a sua própria evolução como seres humanos, procurando ajuda nesse sentido. E isto tem reflexos num novo estilo de vida, contrário ao modo automático e acelerado a que nos habituámos. A pandemia levou grande parte das pessoas a desacelerarem, permitindo refletir sobre o que procuram na sua vida e a aproveitar o momento presente de forma consciente.


Este estilo de vida, que não é novo, ganha relevância com a pandemia, encontrando-se associado ao que chamamos de minimalismo, um conceito que surgiu no século XX e que dá relevância ao sentido de utilidade das coisas e não tanto à sua aparência. Este conceito, que evoluiu no campo social e se tornou comportamental, apela à simplicidade, facilidade, ao quebrar de excessos, reduzindo ao que é essencial na vida, incluindo-se aqui a imagem pessoal, pois percebemos que não precisamos de tanta roupa quanto aquela que existe no armário e que os diferentes momentos do dia exigem a adequação e funcionalidade para lidar com todos os papéis desempenhados em casa e que incluem o teletrabalho. Reflete uma forma desacelerada de estar e de ser na vida, convidando para uma forma mais consciente de viver, com práticas sustentáveis.


Ao abrirmos mão daquilo que não nos faz verdadeiramente falta, acabamos por abrir espaço para uma vida mais simples, organizada, com objetivos concretizáveis e tempo necessário para fazer aquilo que nos deixa verdadeiramente realizados.


Ser minimalista, ao contrário do que se possa pensar, não significa abdicar de qualidade de vida ou de bens essenciais. Baseia-se, sim, na procura de dar utilidade a cada coisa, tendo na nossa vida apenas o essencial. É privilegiar o consumo consciente e ponderar cada compra ou gasto, na imagem, na casa, e na vida.


Para quem procura uma imagem e um modo de viver mais consciente, o primeiro passo é entender e definir quais as suas principais necessidades no momento atual, pois a base de todo este conceito e movimento que se tornou um estilo de vida está no voltar o foco para si próprio, com autoconhecimento, o que só é possível com a procura do próprio desenvolvimento pessoal.


Deixa aqui o teu comentário,

Joana