Autocuidado Físico e Padrões de Beleza são compatíveis?

Atualizado: Mai 19

Qual é o teu foco quando procuras cuidar de ti fisicamente? Procuras encaixar-te no padrão de beleza atual ou estás focada no teu bem-estar e valorização pessoal?




Há questões sérias de imagem que envolvem as mulheres, e que se encontram associadas à busca de uma perfeição estética que não existe e que tem como consequências a baixa-autoestima, a falta de segurança e autoconfiança com impacto em todos os aspetos das suas vidas, incluindo no trabalho e em qualquer tipo de relacionamento. Falámos aqui de falsos pretextos de autocuidado, da valorização que não é pessoal, mas focada no outro, no parecer. Outras questões como pré-conceitos e estereótipos influenciam também a forma como muitas mulheres se vestem, e se expressam, tal como o medo de assédio ou de não serem levadas a sério. O que já deixaste de vestir ou até trocaste por achares que irias ser julgada?


Acontece que muitas mulheres deixam de gostar do seu corpo (se alguma vez tiverem gostado), não só, devido a estereótipos de imagem e preconceitos em relação ao que a mulher deve vestir e fazer, mas também por procurarem continuamente atingir algo que não é real, procurando cuidar de si pelo sofrimento que sentem em não se enquadrarem naquilo que é vendido como o padrão de beleza ideal em que toda a gente quer estar, e só conseguindo ver no espelho não mais do que defeitos ao invés de qualidades. Ter a barriga mais saliente, estrias, flacidez, linhas de expressão ou assimetrias mais visíveis é constantemente fonte de desgosto e motivo da procura de procedimentos estéticos.


Não há qualquer problema na procura de autocuidado estético quando é positiva, porque gostam de si e procuram cuidarem de si positivamente. Só que quando procuramos fora, rejeitando o que já existe em nós, corremos o risco de entrar num círculo vicioso do que "deve ser", na insatisfação com própria imagem e com a vida.


Não deveríamos procurar qualquer tipo de autocuidado porque gostamos de nós e não porque não nos aceitamos positivamente? Não deveríamos ser as primeiras pessoas a gostarmos de nós e a querer manter o nosso corpo físico saudável sem nos julgarmos ou desrespeitarmo-nos?


Quando vamos mudar o foco para refletirmos as nossas forças e potencialidades, olhando com carinho, amor e aceitação para nós e desenvolvendo sem sofrimento aquilo que podemos transformar em forças?


Como procuras mudar algo que não reconheces nem aceitas em ti? Qual será o resultado?


Conhece-te primeiro, percebe quais as tuas reais necessidades e o que está na causa da tua insatisfação, trabalha isso e muda quando sentires que é esse o caminho.


É isso que fazemos na Mentoria e no Programa de Valorização Pessoal da 4Hands - Aprender a reencontrares-te, a reconhecer e a realçares as tuas forças, aliando a tua imagem ao teu desenvolvimento pessoal, com leveza e equilíbrio.


Com carinho,

Joana